Oferecimento:

A taxa de transmissão (Rt) da Covid-19 no Brasil caiu para 0,98, segundo levantamento do Imperial College de Londres, atualizado nesta terça-feira. O índice estava em 1,13 no relatório divulgado na semana passada, o maior registrado desde março.

A taxa de contágio atual significa que cada 100 pessoas contaminadas transmitem a doença para outras 98 pessoas. Quando a taxa está acima de 1, indica que a doença avança sem controle no país.

Dentro da margem de erro calculada pela universidade britânica, o Rt brasileiro atual pode variar de 0,76 a 1,08.

O Imperial College também projeta que o Brasil deve registrar 13.100 óbitos pela Covid-19 nesta semana, um aumento em relação à anterior, quando foram contabilizadas 12.643 mortes pela doença.

A taxa de transmissão é uma das principais referências para se acompanhar a evolução epidêmica do Sars-CoV-2 no país. No entanto, especialistas costumam ponderar que é preciso acompanhá-la por um período prolongado de tempo para avaliar cenários e tendências, levando em conta o atraso nas notificações e o período de incubação do coronavírus.

Por ser uma média nacional, o Rt também não indica que a doença esteja avançando ou retrocedendo da mesma forma nas diversas cidades, estados e regiões do Brasil. Além disso, a universidade britânica afirma que a precisão das projeções varia de acordo com a qualidade da vigilância e dos relatórios de cada país.

Estatísticas nacionais apontam que a média móvel de mortes pela Covid-19 no Brasil está em tendência de queda. Na segunda-feira, o país registrou a média móvel de 1.626 óbitos, uma redução de 18% em comparação com o cálculo de duas semanas atrás, segundo o consórcio de veículos da imprensa. É a menor desde o dia 9 de março, quando estava em 1.572.

Já a média móvel de casos foi de 68.231 diagnósticos positivos, uma redução de 5% em comparação ao índice de 14 dias atrás, o que demonstra uma tendência de estabilidade.

A “média móvel de 7 dias” faz uma média entre o número do dia e dos seis anteriores. Ela é comparada com média de duas semanas atrás para indicar se há tendência de alta, estabilidade ou queda dos casos ou das mortes. O cálculo é um recurso estatístico para conseguir enxergar a tendência dos dados abafando o ruído causado pelos finais de semana, quando a notificação de mortes se reduz por escassez de funcionários em plantão.

Taxas de transmissão pelo mundo

Segundo o levantamento do Imperial College, o mundo registrou, até segunda-feira, dia 28, mais de 180 milhões de casos de Covid-19, e mais de 3,9 milhões de óbitos.

As maiores taxas de transmissão da semana estimadas pela universidade britânica foram em Mianmar (Rt 1,85), Quênia (Rt 1,60) e Reino Unido (Rt 1,43).

Na América do Sul, os maiores índices estimados foram na Colômbia (Rt 1,08) e Venezuela (Rt 1,00), seguidos pelo Brasil.

Já as menores taxas de transmissão foram identificadas na Espanha (Rt 0,40), República Tcheca (Rt 0,41), Bélgica e Bulgária (Rt 0,48).

Via IG

0saves
If you enjoyed this post, please consider leaving a comment or subscribing to the RSS feed to have future articles delivered to your feed reader.
Taxa de transmissão da Covid-19 no Brasil cai para 0,98, diz Imperial College

Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *