Oferecimento:

Ser um empreendedor é uma característica do brasileiro! De acordo com dados do GERA – Global Entrepreneurship Research Association em parceria com o SEBRAE e IBQP – Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade, de cada 10 brasileiros que ainda não são considerados empreendedores, três pretendem abrir um negócio nos próximos três anos, isso significa oito milhões de novos negócios. Nesta mesma pesquisa de 2019, os futuros empreendedores apontam para a abertura de um negócio na área de serviços, em 68% dos casos.

Mas esse setor também está sendo impactado pelos processos de transformação digital, a automação de serviços, o home office, os eventos online, o marketing interativo, a necessidade de segurança da informação para as transações financeiras por meio de plataformas de e-commerce, a realidade aumentada e a internet das coisas, também vão impactar na forma como os serviços serão ofertados.

O setor de serviços na economia brasileira é representado por mais de 1,3 milhões de empresas ativas e geram cerca de 14 milhões de empregos. Um setor que cresce em média 3,0% ao ano e representa quase 80% das divisas geradas dentro do país, ou seja, um setor de grandes oportunidades de negócios (IBGE: 2016, 2018).

Onde você pode trabalhar na área de serviços:
1 – Serviços relacionados às famílias: serviços de alimentação, atividades culturais, recreativas e esportivas, serviços pessoais (planos de saúde, clínicas médicas, lavanderias, cabelereiros, serviços de beleza e estética, escolas de idiomas, ensino de esportes, artes e cultura).
2 – Serviços de informação e comunicação: telecomunicações, tecnologia da informação, serviços audiovisuais (rádio, televisão, empresas de telefonia).
3 – Serviços profissionais, técnicos e administrativos: serviços jurídicos, consultorias, serviços de arquitetura, engenharia, publicidade, agências de viagens, decoração, entre outros.
4 – Serviços de transporte: todas as modalidades de transportes (de cargas e passageiros), armazenamento, distribuição, correios e outras atividades de entregas.
5 – Serviços imobiliários: atividades de compra, venda e aluguel de imóveis, incluindo atendimento, intermediação e consultoria.
6 – Serviços de manutenção e reparos: manutenção e reparo de automóveis, residências, equipamentos eletrônicos e de informática, reparos de objetos pessoais e eletrodomésticos.
7 – Outras atividades de serviços: como serviços financeiros (empresas de administração de crédito, financeiras, contabilidade) corretores e agentes de seguros, serviços de saúde e auxílio hospitalar, além de segurança e vigilância.


Empreender na área de serviços, exige pessoas que se identificam com o encantamento no atendimento, gentileza, cortesia e hospitalidade voltados para a experiência. São pessoas que gostam de aspectos relacionados a gestão de negócios em serviços, tais como planejar, gerenciar, inovar, criar novos espaços e experiências de consumo. São pessoas que estão atentas ao funcionamento de tudo e que trabalham para manter a harmonia do ambiente, gerando segurança, confiança e encantamento. Também conhecidos como gestores de facilities ou gestores de serviços e experiências, são as pessoas que comandam o “show” de forma invisível – cuidando para que tudo se integre numa experiência significativa para o cliente.

Por outro lado, os serviços também chegaram a era digital, e iremos precisar de profissionais que buscam gerenciar o aparato digital (sites, redes sociais, canais de comunicação virtual) para ofertar experiências mais significativas ao usuário do mundo digital. Profissionais que se preocupam com a experiência do usuário (User Experiense) no acesso a plataformas online, facilidade de acesso, design da plataforma, formas de comunicação, ferramentas e sistemas da era digital.


Caminhamos para negócios na área de serviços, cujos profissionais serão experts em lidar com os recursos tecnológicos para melhorar a experiência de consumo do usuário; desenvolver, criar e inovar em novas formas de contato com o cliente, a partir de ferramentas interativas de venda, relacionamento, cocriação de produtos e serviços, direcionados ao comércio digital; que se identifiquem com o encantamento no atendimento, gentileza, cortesia e hospitalidade voltados para a experiência; pessoas que gostam de aspectos relacionados a gestão, planejam, gerenciam, inovam e criam novos espaços e experiências de consumo.

Autor: Elton Ivan Schneider é diretor da Escola Superior de Gestão, Comunicação e Negócios do Centro Universitário Internacional Uninter.

0saves
If you enjoyed this post, please consider leaving a comment or subscribing to the RSS feed to have future articles delivered to your feed reader.
Procura-se profissionais que saibam melhorar a experiência de consumo do usuário, seja um empreendedor na área de serviços

Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas