Oferecimento:

Uma operação nacional deflagrada pela Polícia Federal nos municípios de Garanhuns, Recife e Paulista fechou cinco empresas de segurança que funcionavam de forma ilegal. Funcionários atuavam como vigilantes sem capacitação técnica para utilizar arma de fogo, nem capacitação. Através da Superintendência Regional da PF em Pernambuco e da Delegacia de Caruaru, a Operação Segurança Legal IV ocorreu entre os dias 26 e 27 de setembro e resultou na prisão de um homem.

No município de Paulista, no Grande Recife, um cabo e um sargento reformados da Polícia Militar eram responsáveis por duas empresas clandestinas. Eles receberam notificações de encerramento de atividades por atuar de forma ilegal.

Em Garanhuns, no Agreste, a PF identificou um segurança trabalhando armado, que foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma de fogo. A pena para esse tipo de crime varia de 2 a 4 anos de reclusão. Uma outra empresa mantinha ilegalmente dois postos de vigilância que funcionavam em uma escola e uma farmácia no bairro de Heliópolis. Todos foram encerrados pela PF. Durante a ação dos policiais, ainda foram apreendidos dois rádios de comunicação; uma tonfa; um colete; uma faca inoxidável; um spray de pimenta e um revólver de calibre 38.

“Uma pessoa que não tem capacitação técnica, sem formação para portar arma coloca em risco a própria vida e de outras pessoas que contratam o serviço de segurança. Por isso, é necessário que as pessoas antes de contratar qualquer serviço de segurança procurem a Polícia Federal para saber se a empresa está cadastrada regularmente”, esclareceu o chefe de comunicação da PF em Pernambuco, Giovani Santoro.

Uma empresa também foi cancelada por exercer o serviço de segurança de sem autorização da PF em um condomínio no Recife. Foram apreendidos dois rádios de comunicação e duas tonfas.

A operação ocorreu de forma simultânea nos 26 estados da federação e no Distrito Federal, envolvendo o trabalho do órgão central e de mais de 95 unidades de Polícia Federal distribuídas por todo o território nacional. Ao menos 318 empresas de segurança e estabelecimentos foram fiscalizadas em todo o país.

A Polícia Federal é responsável pela regulação e controle da atividade de segurança privada em todo o país. Toda atividade de segurança, seja armada ou desarmada, necessita de autorização federal. Mesmo na atividade desarmada, por exemplo, os vigilantes, para exercerem a profissão, precisam se capacitar através de um curso de formação, e fazer um curso de reciclagem a cada 2 anos, sob fiscalização da PF.

Todas as cinco empresas receberam auto e notificação de encerramento das atividades com prazo de 30 dias para apresentar suas alegações. Se não apresentarem as justificativas serão fechadas de forma definitiva.

A Polícia Federal recebeu informações por parte da população e das empresas que se foram prejudicados por esse serviço clandestino. Para se informar se uma empresa de segurança está regular e possui profissionais com capacitação, deve ligar para a Polícia Federal através do telefone 2137.4017/18.

Fonte: Diário de Pernambuco

0saves
If you enjoyed this post, please consider leaving a comment or subscribing to the RSS feed to have future articles delivered to your feed reader.
PF fecha cinco empresas clandestinas de segurança em Pernambuco

Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas