Pular para a barra de ferramentas

Oferecimento:

Se a candidatura de Lula for aceita, a deputada estadual entra no lugar de Haddad; se não o for, Manuela será a candidata a vice do prefeito paulistano.

A decisão foi de última hora, mas o PCdoB definiu que não vai mais levar o nome da deputada estadual Manuela D’Ávila às urnas, como candidata própria da legenda à Presidência da República. Ao invés disso, o partido resolveu apoiar o PT nas eleições 2018 – sob a promessa de que Manuela vá compor a chapa petista, saindo como candidata a vice.

A negociação entre o PT e o PCdoB foi encerrada neste domingo (5). Segundo o acordo, Manuela irá viajar o País junto ao candidato Fernando Haddad –  que foi escolhido como vice oficial na chapa petista. Se a candidatura de Lula à Presidência for aceita pela Justiça, Manuela toma o lugar de Haddad como vice. Se Lula for barrado, Haddad e Manuela serão a chapa ‘plano B’ a seguir com a campanha petista.

Inicialmente, o nome de Fernando Haddad compõe uma chapa ‘puro-sangue’ para que ele possa, enquanto Lula está preso, fazer campanha em nome do ex-presidente. Segundo a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, a decisão de escolher um candidato a vice-presidente do próprio partido foi para garantir que a representação de Lula seja feita por um de seus membros.

“[Isso foi decidido] na avaliação que fizemos para assegurar a manifestação do presidente Lula. E vamos com a candidatura de Lula até as últimas consequências: a vocalização de sua campanha será feita com um companheiro do PT”, afirmou.

PCdoB priorizou a ‘unidade política’

Na última quarta-feira (1º),  Manuela D’Ávila  havia chegado a ser confirmada pelo seu partido como candidata à Presidência da República . No final da convenção, entretanto, ela já havia adiantado que abriria mão de disputar o carto caso houvesse unidade de outros partidos da esquerda que pretendessem concorrer ao pleito.

Segundo a presidente do PCdoB , Luciana Santos, a decisão do partido foi tomada em nome da unidade. “Manuela disse que nunca foi óbice a qualquer tipo de unidade política. Nós estamos construindo a unidade política que foi possível construir no primeiro turno, com a participação e liderança de Lula. Isso por uma circunstância objetiva, até que se definam as pendências legais”, destacou Luciana.

* Com informações da Agência Brasil.

Fonte: Último Segundo – iG 

0saves
If you enjoyed this post, please consider leaving a comment or subscribing to the RSS feed to have future articles delivered to your feed reader.
PCdoB desiste de candidatura própria e Manuela D’Ávila será vice na chapa do PT

Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *