Oferecimento:

Consolidado nas grandes cidades, o segmento de franquias tem mirado as cidades do interior para crescer. Um estudo de 2018 da Associação Brasileira de Franchising (ABF) mostrou que, das 11 cidades que mais avançaram no primeiro semestre do ano passado, sete não eram capitais. A inauguração de shoppings em regiões mais afastadas dos centros urbanos impulsiona o desenvolvimento do setor. Em Pernambuco, as cidades de Caruaru e Garanhuns, no Agreste; Petrolina, Arcoverde e Salgueiro, no Sertão, estão no foco dos investimentos das franqueadoras.

Um exemplo é a rede de sorveterias Chiquinho Sorvetes. A marca criada pelo empresário Francisco Olímpio de Oliveira nos anos 1980 quer dobrar o número de lojas em Pernambuco até o fim do ano e fazer isso chegando a mais cidades do interior do estado. Até dezembro, serão abertas unidades em Santa Cruz do Capibaribe, Araripina, Agreste e Sertão, respectivamente, em Vitória de Santo Antão, na Mata Sul; além de Paulista, na Região Metropolitana do Recife, e uma segunda loja na capital pernambucana. Atualmente, a sorveteria tem quatro lojas: a primeira do Recife, em Boa Viagem, uma em Caruaru, outra em Petrolina e a quarta em Garanhuns.

Após cinco anos de funcionamento na cidade de Frutal (MG), a marca inaugurou a primeira filial na cidade de Guaíra, interior de São Paulo e, nos anos seguintes, expandiu até chegar às 470 lojas atuais. Em 2010, a empresa entrou para o segmento de franquias com a CHQ Companhia de Franchising, empresa criada exclusivamente para gerir a marca Chiquinho Sorvetes. “Montamos um escritório no Recife para atender os franqueados. Em breve, vamos divulgar no estado a nossa expansão, prospectando novos investidores. Temos a meta de fechar 2020 com 20 unidades”, afirma o franqueado da Chiquinho Sorvetes, Mário Sérgio da Silva.

A rede de escolas bilíngues com metodologia canadense Maple Bear também está de olho no interior do estado. Desde 2017, quando foi comprada pelo Grupo SEB, o número de unidades dobrou para 140 no país, em um sistema de franquia. Outras 60 estão em fase de implementação, sendo 90% localizadas no interior. Unidades em Caruaru, Petrolina e Garanhuns estão em fase de implantação. A de Caruaru deve abrir para o ano letivo do próximo ano. Já as de Petrolina e Garanhuns devem começar a funcionar em 2021. Há ainda, sem prazo, a expectativa de abrir unidades em Jaboatão e Olinda. “Temos 125 escolas em operação e chegando a 200 em implantação. O grande diferencial é o investimento no professor. São muitos treinamentos para abrir uma escola. Levamos cerca de um ano e meio para inaugurar”, pontua o gerente de negócios da rede, Adriano Magalhães.

Presente nos 185 municípios de Pernambuco, a Oi é outra marca que tem o objetivo de aumentar a atuação no interior do estado. A operadora tem sete lojas próprias e 18 franquias no estado. “Temos um projeto de expansão no território pernambucano, com foco no interior e nos planos pós-pago”, disse a diretora de franquias e lojas próprias da Oi, Ana Teresa Raposo.

Segundo o diretor da Regional Nordeste da Associação Brasileira de Franchising (ABF) e CEO do Grupo Bonaparte, Leonardo Lamartine, o processo de interiorização das franquias deve ser reforçado em 2019 e nos próximos anos. “Há seis anos, tivemos o crescimento das classes sociais no mercado de maneira geral. Houve, nas cidades do interior, uma chegada de oferta que não havia no passado. Antes, as pessoas precisavam consumir fora de suas cidades, ou seja, precisavam ir para o Recife para comprar. Essas opções passaram a ser oferecidas localmente. Isso gerou uma movimentação de varejo muito interessante, inclusive por parte das franqueadoras, que buscaram novos modelos de negócio e formatos menores para atingir cidades que não atingiam antes. Existia uma métrica do mercado de franquias de só entrar em cidades com mais de 200 mil habitantes. Agora, existem modelos para cidades menores”, explica.

Crescimento

Em Pernambuco, o segmento de franquias apresentou crescimento no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2018. A receita do setor cresceu 11,6% no estado quando comparados dados de 2019 e do ano passado. A pesquisa trimestral de desempenho feita pela ABF mostrou que o faturamento passou de R$ 1,02 bilhão para R$ 1,14 bilhão. A expansão foi maior do que a registrada no Nordeste. Na região, a receita passou de R$ 5,23 bilhões para R$ 5,59 bilhões, uma variação de 7%. Nesse período, o número de unidades passou de 2.249 para 2.550, ou seja, houve um crescimento de 13%. Já o número de redes de franquias aumentou de 327 para 398, apresentando uma variação positiva de 22%.

Fonte: Diário de Pernambuco

0saves
If you enjoyed this post, please consider leaving a comment or subscribing to the RSS feed to have future articles delivered to your feed reader.
Franquias no rumo da interiorização

Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas