Oferecimento:

Um interessante artigo da Dra. Vanessa Lobue na “Psychology Today” de janeiro último que trata da violência na TV e a agressividade em crianças. É um tema recorrente devido aos assassinatos em massa nos Estados Unidos provocados por jovens. Isso é algo especialmente importante para os pais, pois o conteúdo violento é comum na televisão e nos filmes, na internet e em alguns dos videogames infantis mais populares.

Há evidências de que a exposição a mídias violentas torna as crianças mais agressivas. Em um dos estudos mais conhecidos sobre o assunto (Bandura, Ross e Ross, 1963), os pesquisadores mostraram às crianças pré-escolares um vídeo de um adulto agredindo um boneco inflável. Depois de assistir ao vídeo, essas crianças imitaram o que viram e, mais surpreendente, descobriram maneiras novas e criativas formas de agredir o boneco, bem como brincaram mais agressivamente com outros brinquedos da sala também.

Pesquisas recentes mostram que a presença de armas piora a situação. Pesquisadores da Ohio State University trouxeram pares de crianças de 8 a 12 anos de idade para um laboratório e mostraram a elas uma versão de 20 minutos de um filme popular, seja o Rocketeer (1991), seja o National Treasure (2004). Uma criança viu o filme real, que continha personagens usando armas, e a outra assistiu a uma versão em que as armas foram editadas. Elas foram então levadas a uma grande sala que continha vários brinquedos, incluindo armas de brinquedo. As crianças que assistiram ao filme com as armas brincaram mais agressivamente do que as crianças que assistiram ao filme editado, consistente com pesquisas anteriores.

O estudo teve ainda um adicional importante. A sala de jogos também continha um armário fechado, onde estava uma arma de verdade, calibre 38. A arma foi modificada para não disparar balas e com um dispositivo para contar quantas vezes o gatilho foi puxado. As crianças não foram informadas de que havia uma arma na sala. Cerca de 83% das crianças no estudo encontraram a arma, sendo que, 27% entregaram-na ao monitor que a retirou da sala. Do restante, 42% brincaram com ela. As crianças que assistiram ao filme que continha imagens de armas eram mais propensas a puxar o gatilho da arma real, em média, cerca de 2 a 3 vezes mais que as que assistiram o filme sem armas e passaram de 4 a 5 vezes mais tempo segurando-a (Dillon & Bushman, 2017).

Esta pesquisa sugere que a mídia violenta pode causar comportamento agressivo em crianças e que esse comportamento pode ser pior se incluir armas. De fato, as crianças são incrivelmente curiosas sobre armas, e distinguem entre armas reais e de brinquedo (Benjamin, Kepes, & Bushman, 2017).

Há outras pesquisas observando que a presença de armas para causar comportamento agressivo (Berkowitz & LePage, 1967), e trabalhos recentes mostram que ter uma arma no carro faz com que as pessoas sejam mais agressivas (Whitlock e Weisenberger, 2017).

Segundo a Dra. Lobue, se você não quer que seus filhos sejam agressivos ou violentos, mantenha-os longe de meios violentos e até mesmo de armas de brinquedo, isso não acabará com a agressividade de todas as crianças, mas certamente é um começo. Armas em casa? Nem pensar!

Mario Eugenio Saturno (cientecfan.blogspot.com) é Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e congregado mariano.

 

0saves
If you enjoyed this post, please consider leaving a comment or subscribing to the RSS feed to have future articles delivered to your feed reader.
Estímulos à agressividade infantil

Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *