Pular para a barra de ferramentas

Oferecimento:

Em tempos de pandemia, as rotinas de trabalho remoto, doméstico e familiar tiveram uma reviravolta em muitos lares brasileiros, fator este que contribuiu para aumentar o estresse da maioria dos colaboradores que se encontram nessa situação.

Estudos realizados pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) apontam que o isolamento social contribuiu para o aumento de estresse, ansiedade e depressão entre os participantes do estudo. Agora, os problemas de trabalho e de vida doméstica convivem todos juntos e misturados, causando uma sobrecarga de tarefas, principalmente nas mulheres.

Diante de todas as incertezas e demandas que o vírus trouxe ao mundo, as pessoas também pararam de cuidar da saúde. Os parques esportivos, antes habitados principalmente aos finais de semana, estão vazios. As academias perderam muitos dos seus clientes e as caminhadas nas ruas se tornaram cada vez mais escassas. O medo tomou conta das pessoas e seus hábitos diários das atividades físicas foram diminuindo drasticamente, o que acarreta inúmeros problemas físicos e mentais.

As atividades físicas foram substituídas por intermináveis desculpas. Tudo ficou pesado, cansativo e estressante, tendo como resultado seres humanos ficando doentes pelos seus próprios hábitos.

Não podemos ignorar as pessoas com doenças pré-existentes. Estes, além de não se cuidarem neste momento, ainda agravam a sua própria situação de saúde, direcionando aos maus hábitos alimentares e à falta de continuidade nas atividades físicas.

Após esse discurso, você deve estar se perguntando: o que fazer para mudar essa situação? Neste sentido, seguem dicas simples, mas que impactam em grandes mudanças na sua vida.

  • Reserve 30 minutos do seu dia para realizar as atividades físicas;
  • Dê preferência para os horários em que ninguém esteja te procurando ou que tenha alguém responsável para cuidar das suas demandas;
  • Procure lugares abertos, como varandas do seu apartamento ou o quintal da sua casa; todo o local com três metros de deslocamento pode ser utilizado para a prática de atividade física;
  • Utilize um tênis e roupas confortáveis e flexíveis, além de uma garrafa com água para hidratação antes, durante a após a atividade;
  • Faça uma playlist com as músicas que te motivam e deixe tocando durante os exercícios;
  • Procure fazer uma série de alongamentos antes de iniciar os exercícios. Fique à vontade para iniciar alongamento dos membros inferiores (pernas), passando para os membros superiores (tronco e braços);
  • Tenha sempre em mente que os iniciantes devem realizar os exercícios em três séries de seis a oito repetições cada, utilizando o peso do seu próprio corpo, o que chamamos de movimentos isométricos;
  • Realize exercícios leves ou moderados no início da prática, caso contrário, a dor muscular que fatalmente virá nos próximos dias irá fazer você desistir;
  • Opte por treinar diferentes músculos em cada dia de atividade e habitue-se a treinar no mínimo duas vezes por semana cada um dos grupos musculares;
  • Ao final do treino de 30 minutos, procure alongar-se novamente.
  • Após a atividade, fique de dois a três minutos em silêncio; procure conectar-se com as coisas positivas; não permita que as relações exteriores interfiram nos seus pensamentos.

Autora: Marina Toscano Aggio de Pontes é ex-atleta da Seleção Brasileira de Futebol e professora do curso de Educação Física do Centro Universitário Internacional Uninter.

0saves
If you enjoyed this post, please consider leaving a comment or subscribing to the RSS feed to have future articles delivered to your feed reader.
Em tempos de isolamento social, como ficam as atividades físicas?

Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *