Pular para a barra de ferramentas

Oferecimento:

As buscas por sobreviventes, após o rompimento de uma barragem da mineradora Vale em Brumadinho, continuam na manhã desta segunda-feira (28), o quarto dia seguido de operação contínua do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais. Ainda hoje, a Defesa Civil atualizou o número de mortes, que subiu de 58  para 60.

Ainda segundo a Defesa Civil, até o momento, 192 vítimas foram resgatadas com vida. Por enquanto, ainda há 292 pessoas desaparecidas. Por sua vez, a Vale, mineradora envolvida no caso, divulgou uma nova lista com os nomes de 297 pessoas desaparecidas em Brumadinho .

Até o final da noite de ontem, apenas 19 dos 60 mortos confirmados haviam sido identificados, o que indica que parte de alguns desses desaparecidos já pode ter sido encontrada, mas ainda não foi devidamente identificada.

Também ontem, o tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador da Defesa Civil de Minas Gerais , afirmou um segundo ônibus soterrado foi encontrado com pessoas mortas. Esses óbitos ainda não foram contabilizados nos dados oficiais, mas estima-se em mais cerca de 20 vítimas fatais apenas no coletivo. As operações de resgate continuaram durante a noite.

O tenente-coronel Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais afirmou que o restaurante da empresa Vale, onde se espera que esteja a maioria das vítimas, está soterrado por 15 metros de lama.  É possível ainda que o complexo tenha se deslocado para outro local. Afinal, uma pousada localizada próximo à barragem foi arrastada pela lama.

Segundo Aihara, a equipe de resgate ainda trabalha com a possibilidade de encontrar pessoas vivas, apesar de nenhuma vítima ter sido resgate com vida durante o último domingo. Apesar do otimismo, ele ainda admitiu a possibilidade de alguns corpos não serem encontrados. Ao todo, o trabalho de resgate deve durar cerca de duas semanas.

Por enquanto, cerca de 460 pessoas procuraram a polícia em busca de parentes desaparecidos, segundo informações divulgadas pelo chefe da Polícia Civil de Minas Gerais, Wagner Pinto de Souza.

Em comunicado oficial, a Vale  informou que sirenes foram acionadas depois que um aumento dos níveis de água na barragem VI foi identificado. Equipes de resgate trabalharam durante toda a manhã para retirar a população das áreas de risco e levá-las para pontos altos da cidade. No início do dia, 24 mil pessoas precisavam ser evacuadas, nos bairros de Parque da Cachoeira, Pires, Ipiranga, Centro, São Conrado, Santo Antônio e Coab.

Agora, de acordo com informações do tenente Aahara, porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, com a diminuição do risco de novo rompimento, as buscas foram retomadas e as pessoas desalojadas já podem voltar para suas casas. No sábado (26), governo federal reconheceu o estado de calamidade pública na cidade.

Até agora, 19 vítimas foram identificadas. A primeira a ser identificada foi a médica Marcelle Porto Cangussu , de 35 anos, que era funcionária Vale. As outras pessoas são: Adriano Caldeira do Amaral, Carlos Roberto Deusdeti, Daniel Muniz Veloso, David Marlon Gomes Santana, Djener Paulo Las-Casas Melo, Eliandro Batista de Passos, Fabricio Henriques, Flaviano Fialho, Francis Marques da Silva, Jonatas Lima Nascimento, Leonardo Alves Diniz, Marcelo Alves de Oliveira, Maurício Lauro de Lemos, Moisés Moreira Sales, Robson Máximo Gonçalves, Wellington Campos Rodrigues e Willian Jorge Felizardo Alves.

Peritos especializados da Polícia Federal chegaram em Minas Gerais para auxiliar no reconhecimento das vítimas. Pelo mesmo motivo, a Advocacia-Geral da União (AGU) ajuizou uma medida cautelar de urgência para que empresas de telefonia forneçam a relação de assinantes de celulares que estavam conectados nas imediações da Mina do Córrego do Feijão .

“As informações devem ser repassadas com urgência pelas empresas diretamente para os órgãos envolvidos nas operações de socorro e resgate: Forças Armadas, Defesa Civil de MG, Corpo de Bombeiros de MG, Polícia Militar de MG, Vale e para a prefeitura de Brumadinho”, disse André Mendonça, titular da AGU. A Justiça de Minas Gerais autorizou a quebra do sigilo.

Também neste domingo (27), Israel enviou ao Brasil uma tropa de 130 soldados para ajudar nas  buscas por vítimas da tragédia. Segundo o presidente Jair Bolsonaro, além dos soldados, estão sendo enviados ao Brasil “16 toneladas de equipamentos destinados a busca de desaparecidos” na tragédia de  Brumadinho . Também fazem parte da missão israelense médicos, engenheiros e especialistas.

Fonte: Último Segundo – iG

0saves
If you enjoyed this post, please consider leaving a comment or subscribing to the RSS feed to have future articles delivered to your feed reader.
Bombeiros confirmam 60 mortos e 292 desaparecidos em Brumadinho

Post navigation


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *