Oferecimento:

Começa hoje (terça 16), de forma online e presencial, exibições de filmes e animações na oitava edição do Festival de Cinema da Diversidade Sexual e de Gênero (Recifest), um dos maiores e mais importantes do segmento do Brasil. O evento vai até o dia 20, no Recife, e apresenta curtas em Mostras Competitivas, além da Mostra Div.A – Diversidade em Animação e da Mostra Internacional. As obras serão exibidas no secular Teatro do Parque, no centro da capital, às 19h. Cada sessão ficará disponível online, até as 19h do dia seguinte, no Recifest Play, área do site oficial. Link: https://recifest.com.br/

“O Recifest é um festival muito importante, porque além de trazermos para as telas a questão da diversidade sexual e de gênero, também acolhemos as diversidades dos territórios, étnicas e raciais do País”, expõe a produtora Carla Francine, que divide a direção do evento com a produtora Rosinha Assis.

“Diante do grande retrocesso que estamos vivendo, acredito que o Recifest é um espaço importante e necessário. Além de uma janela de exibição de cinema, é um projeto que tem na sua essência os direitos igualitários para todes os povos e corpos”, reforça Rosinha, que idealizou o festival junto com o ator e diretor Rutílio de Oliveira – o qual nos deixou em 2012.

As produtoras destacam ainda a abordagem das diásporas contemporâneas. “Nos interessa trazer para a mostra internacional, com curadoria de Alexander Melo, as vozes dos expatriados, deportados, refugiados políticos, imigrantes e minorias étnico-raciais e LGBTQIA+, que evidenciam o acirramento da intolerância no mundo e as transformações na geopolítica mundial”.

Curtas das Mostras Competitivas

O Recifest registrou a inscrição de mais de 240 produções, de 23 estados do Brasil e do Distrito Federal. Desse total, foram selecionados 27 filmes pela curadoria formada por André Antônio, Anti Ribeiro e Felipe André Silva. Todos os filmes concorrentes foram lançados a partir de janeiro de 2019 e expõem a força criativa, as vozes, narrativas, corpos e territórios de realizadores gays, lésbicas, não-binários, homens e mulheres trans, intersexo dos vários Brasis.

As obras inscritas na mostra competitiva concorrerão aos prêmios de Melhor Filme em duas categorias: Filme Pernambucano e Filme Nacional. A primeira é destinada aos curtas com produtoras e/ou diretores pernambucanos. Já a segunda categoria é para filmes realizados em todo o território nacional.

Os filmes serão premiados por um júri oficial e também a partir da escolha do público, que votará por meio de um formulário online disponibilizado pela organização. Tanto na premiação oficial, quanto na escolha popular, o vencedor de cada categoria leva o prêmio de R$ 2,5 mil.

Além das premiações em dinheiro, o Recifest vai conceder troféus para as categorias de Melhor Direção em Curta-Metragem; Melhor Roteiro em Curta-Metragem; Melhor Interpretação em Curta-Metragem e Melhor Direção de Arte. E tem premiações em serviços como as parcerias com a Academia Internacional de Cinema- AIC, que dará uma vaga no curso de assistente de direção, e a finalizadora MISTIKA, que dará serviços de finalização de imagens para algum dos concorrentes.

Destaque para vivências plenas e plurais

Tendo em vista o contexto em que estamos vivendo, desde março de 2020, com a pandemia da covid-19, a curadoria do Recifest esperava que filmes montados em narrativas pessimistas e que tratassem de confinamentos fossem chegar em maior número. Porém, o que se observou foi uma desvinculação geral das obras dessa estética “pandêmica”.

“O Recifest volta à pluralidade que sempre lhe foi muito cara. Com uma programação que fala sobre vivências plenas ou doloridas, pretas ou brancas, combativas ou passivas. Ou seja, tratando sobre a multiplicidade de possibilidades que existem no mundo, e são delineadas com tanto vigor na comunidade LGBTQIA+”, reflete o curador Felipe André Silva.

Mostra Internacional

A Mostra Internacional do Recifest apresenta, na sexta, dia 19, oito produções do Canadá, Espanha, EUA, Índia e Peru. Destaque para o indiano “Bodiesofdesire”, de Varsha Panikar e Saad Nawab. O filme é uma celebração sensual de amor e desejo sem gênero, inspirado pela realidade vivida pela poeta.

Mostra Div.A – Diversidade em Animação

A mostra Div.A exibirá, no sábado, dia 20, uma seleção especial de animações LGBTQIA+ atuais que estão sendo premiados em diversos festivais no Brasil e no exterior. Em destaque, a premiada “Genius Loci”, do francês Adrien Mérigeau – indicada ao Oscar de Melhor Curta de Animação. Nela acompanhamos Renee, uma jovem solitária, que vê uma pessoa mítica sob o caos urbano uma noite.

Mais cinco animações dos Estados Unidos, Reino Unido e Suécia completam a seleção.

Tanto a mostra Div.A quanto a mostra internacional traçam um panorama de filmes muito diversos que trazem novas propostas cinematográficas e roteiros provocantes. Filmes que estão se destacando nos grandes festivais internacionais de cinema LGBTQIA+ no mundo.

Exibições em escolas públicas

O Recifest também está apresentando filmes com temática LGBTQIA+ em escolas públicas, penitenciárias e espaços sociais do Recife. A programação conta ainda com oficinas online sobre produção audiovisual.

Durante as mostras, são exibidos curtas-metragens que levantam questões como o respeito ao outro, a coerência consigo mesmo e a importância de alimentar sonhos. A programação completa pode ser conferida no site oficial do festival.

Documentário “Deus tem Aids”

Depois de 40 anos do início da epidemia global da Aids, sete artistas e um médico ativista, pessoas vivendo com HIV, oferecem novas imagens e perspectivas para lidar com a sorofobia no Brasil. Esta é a sinopse do documentário “Deus tem Aids”, que será exibido no Teatro do Parque, no sábado (20), às 19h

Dirigido por Fábio Leal e Gustavo Vinagre, “Deus tem Aids” é um documentário brasileiro com 82 minutos que se propõe a ir na contramão do imaginário socialmente estratificado em torno da epidemia da AIDS no Brasil. Além da sorofobia cotidiana direcionada às pessoas que vivem com HIV.

Cuidados contra a covid-19

A 8º edição do Festival de Cinema da Diversidade Sexual e de Gênero (Recifest) tem patrocínio do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura), do Sistema de Incentivo à Cultura do Recife (SIC Recife), por meio do Fundo de apoio da Prefeitura do Recife.

Para a realização das atividades presenciais, o Recifest destaca que serão respeitados todos os protocolos de segurança contra a covid-19. É preciso ser maior de 16 anos e apresentar comprovante de vacinação.

Mais informações: https://recifest.com.br/ e @recifestoficial

0saves
If you enjoyed this post, please consider leaving a comment or subscribing to the RSS feed to have future articles delivered to your feed reader.
8º Recifest apresenta curtas, longa e animações LGBTQIA+

Post navigation


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *